21 abril 2018

Max Müller - 26 ao 30

Segue a saga.
De como os traidores foram capturados por Frog e com a intervenção de Müller todos os bandidos foram conduzidos ao destacamento militar do tentente inglês Harry Colts; de como Max e seus companheiros viajaram à Calcutá a bordo do dirigível do milionário belga E. Laport; lá Max reencontra a família (que estava à bordo de Satan); Max recebe uma bandeira do Brasil de presente de aniversário, começam suas aulas com um membro da Academia de Letras (Dr. Corally Lebeau) e também aulas de ginástica sueca e esgrima; Max se despede de Mister Greener.

Cap. 26 - ed. 412 de 27 de agosto de 1913
Cap. 27 - ed. 413 de 3 de setembro de 1913
Cap. 28 - ed. 414 de 10 de setembro de 1913
Cap. 29 - ed. 415 de 17 de setembro de 1913
Cap. 30 - ed. 416 de 24 de setembro de 1913
Fonte:  Biblioteca Nacional

20 abril 2018

Francisco Acquarone (1898 - 1954)

Pesquisando em Guia dos Quadrinhos, na Wikipédia, na Brasil Artes Enciclodédia e na Enciclopédia Itaú Cultural não encontramos referência ao trabalho dele em O Tico-Tico.
No entanto ele fez quadrinhos por lá, em 1934 (edições 1485, 1486, 1487 e 1488), e logo de uma dupla muito famosa:  O Gordo e o Magro (Laurel and Hardy).





Fonte:  O Tico-Tico

19 abril 2018

Francisco Aurélio de Figueiredo e Mello (1854 - 1916)

Talvez esse artista paraibano seja mais conhecido como o irmão de Pedro Américo.
Na Enciclopédia Itaú Cultural e na Paraíba Criativa existe um dado equivocado, ele não coloborou com a revista "Diabo Coxo" (de Pernambuco), mesmo porque tal revista não deve ter existido e o engano talvez seja entendido como uma confusão com a "Diabo Coxo" (de São Paulo).

O dado correto está na Netsaber Biografias, Aurélio de Figueiredo colaborou com a Diabo à Quatro (de Recife) entre 1878 e 1879.  Mas o período não está disponível online na CEPE.
Luciano Magno também menciona a contribuição de Aurélio em "Diabo à Quatro".  Bordallo Pinheiro dedica uma página ao regresso de Aurélio ao Brasil, e também menciona a revista pernambucana, em 23 de novembro de 1878 - O Besouro (Periódicos Raros da Casa Rui Barbosa).
Bom, mas vamos às HQs dele.  Em "A Comédia Social" edição 23, de 7 de julho de 1870 eles nos traz uma em 3 quadros.  Trata da curiosidade (sede) desemfreada, onde um Tigre é atacado por populares que recebem como presente o "sangue de tigre" (nada mais nada menos que fezes humanas carregadas em balaios/cestos por escravos que ficavam rajados de bosta durante o percurso):
 
Ele também colaborou com a revista Semana Illustrada, de 1873 até 1875 (segundo todos os sites acima, e segundo Luciano Magno). A gente percebe o traço diferenciado do cara.  Algumas HQs são produzidas por ele nesse período, mas uma em particular me agradou, são quatro páginas que nos mostram que a burocracia continua a mesma no Brasil (ediçõe 654, de 22 de junho de 1873, até a edição 657, de 13 de julho de 1873):



That's All Folks!

13 abril 2018

Vida de Lampião - por Euclides Luis dos Santos

Segue a saga.
Agora do capítulo quinto ao oitavo.
Detalhes do sequestro do médico por Lampião; Lampião assiste missa; tiroteio que vara a madrugada; e algumas tentativas da polícia para capturar o bando...

Edição 480 de 1938
Edição 482 de 1938
Edição 483 de 1938
Edição 484 de 1938
Fonte:  A Noite Illustrada - Biblioteca Nacional

08 abril 2018

Zé Caipora - capítulos 63 ao 65

Segue a saga.
Nesse "arco" da série Zé Caipora salva o tabelião de um surucucu, chegam sãos e salvos na fazenda, e tudo termina em um brinde com champagne e uma dança animada:

Ed. 198 de 30 de junho de 1906 - O Malho - Cap. 63
Ed. 198 de 30 de junho de 1906, continuação - O Malho - Cap. 63
Ed. 199 de 7 de julho de 1906 - O Malho - Cap. 64
Ed. 200 de 14 de julho de 1906 - O Malho - Cap. 65
Fonte:  O Malho - BN

04 abril 2018

Wilhelm Busch (1832 - 1908)

Semana Illustrada foi a primeira a traduzir/adaptar (Henrique Fleiuss, provavelmente) quadrinhos de Wilhelm Busch no Brasil.

Edição 391 de 7 de junho de 1868 - Semana Illustrada (na BN está arquivada erradamente no ano 1867)
Essa mesma HQ acima foi reproduzida - 63 anos depois - em O Tico-Tico, no ano de 1931:

Edição 1367 de 1931 - O Tico-Tico
Edição 1368 de 1931 - O Tico-Tico
Segue mais HQs do grande artista alemão Busch (um dos pioneiros e dos mais copiados no mundo das HQs), em Semana Illustrada no ano de 1868:

Edição 394 de 28 de junho de 1868 - Semana Illustrada
Edição 394 de 28 de junho de 1868, continuação - Semana Illustrada
Edição 404 de 6 de setembro de 1868 - Semana Illustrada
Edição 404 de 6 de setembro de 1868, continuação - Semana Illustrada

Reparem que essa HQ acima pode ter influenciado essa HQ, que eu vi em Töpfferiana, de 1903 (de Arsène Blondeau) em La Jeunesse Illustrée:

19 de julho de 1903 em La Jeunesse Illustrée
Que com toda certeza influenciou Angelo Agostini nessa HQ de 1905, em O Malho:

Edição 122 de 1905 de O Malho
Que parece ter influenciado (?) essa de 1906 publicada em O Tico-Tico.  Não identifiquei o autor, seria Bourley, Pourdey, Iourley?

Edição 17 de 1906 - O Tico-Tico

 Continuando com Busch, em Semana Illustrada:

Edição 407 de 27 de setembro de 1868 - Semana Illustrada

Edição 407 de 27 de setembro de 1868, continuação - Semana Illustrada
Edição 410 de 18 de outubro de 1868 - Semana Illustada
E de brinde a tradução de Olavo Bilac de uma das obras de Busch:

Juca e Chico



02 abril 2018

Max Müller - 21 ao 25

Segue a saga.
De como Brog encontra os três feridos e os trata junto com o dr. Gevelot.
Do encontro com o fakir que presenteia Max com uma caixa de ébano contendo um espelho negro feito ônix pelo qual se consegue enxergar fatos ocorridos a grandes distâncias.  Da riqueza em jóias oferecida ao Max pelo Brog...

Cap. 21 - edição 406 de 16 de julho de 1913
Cap. 22 - edição 407 de 23 de julho de 1913
Cap. 23 - edição 409 de 6 de agosto de 1013

Cap. 24 - edição 410 de 13 de agosto de 1913
Cap. 25 - edição 411 de 20 de agosto de 1913