28 abril 2017

Um pouco de Raphael Bordallo Proste Pinheiro (1846 - 1905)

Nesta HQ comédia-pastelão de 1878 Bordallo Pinheiro "inova" (fazia isso com uma certa frequência) ao desenhar fora do requadro.  Acredito que o Tupper (das tais cambiais tupperianas) era o Cônsul-Geral da Argentina no Brasil, o sr. Guillermo de Lara Tupper:


Vejam vocês que a figura do gajo evaporando-se fora do requadro bem poderia ter sido repetida em "Visitor" (1949) de Will Eisner trazendo um efeito bem melhor que o obtido pelo famoso quadrinista:

Mas o Bordallo era também excelente em parir capas extraordinárias (ele com certeza teria criado um maravilhoso universo onírico sem par!):

Repare que a tiragem era superior à da Revista Illustrada (que segundo Athos Cardoso era de 4 mil exemplares).  O tal A. Hirsch, nome nos pés do Bordallo , provavelmente é o gravador de O Besouro.


 Inté.


24 abril 2017

Os últimos capítulos de Zé Caipora. No século XIX.

Após ler os 22 anos de Revista Fluminense e os 8 anos de Don Quixote é possível afirmar que em todo o século XIX os leitores conheceram apenas 24 capítulos de As Aventuras de Zé Caipora, e aqui vão os últimos (22, 23 e 24 - todos em Revista Fluminense):

Cap. 22 - ed. 457 - 14 de maio de 1887
Cap. 23 - ed. 475 - 10 de dezembro de 1887
Cap. 24 - ed 477 - 24 de dezembro de 1887
Todos na Revista Illustrada - BN.  Só em junho de 1901 Angelo Agostini voltaria a republicar As Aventuras de Zé Caipora em Don Quixote, com o nome de O Zé Caipora.  Todos os 24 primeiros capítulos foram republicados - de 1º de junho de 1901 até 28 de fevereiro de 1902 (ed. 148).  A partir de 15 de março de 1902 (ed. 149 - que está com a data da capa inexplicavelmente desenhada 17 de fevereiro de 1902), com a publicação do capítulo 25, tem início uma leva de capítulos inéditos, que irão até a publicação do capítulo 35, em 15 de janeiro de 1903.  Depois o barco segue em O Malho...

11 abril 2017

O Preconceito era uma praxe em 1886

Vejam só que pitoresca HQ...

Ed. 69 de 1886 - Distracção
... não fosse pela charada que a engendrou:


Ed 68 de 1886 - Distracção - Nada agradável postar esse reflexo de um tempo.

A revista contava ainda com resoluções de partidas de Damas:


... e também de Xadrex:



Os caras do buril eram Theotonio de Capistrano & Alfredo Pinheiro.  No 'roteiro' ficava Annibal Barrozo (que bem podia também ser desenhista).

08 abril 2017

HQ do Debret

Falar de Debret é chover no molhado, o cara era um gênio da arte.
Poderia ter feito excelentes HQs em aquarela, se essa fosse a praia dele.  E ainda nos teria presenteado com pitorescas 'novelas em quadrinhos' do primeiro quartel do século XIX.
Mas pelo menos uma ficou gravada.  São quatro pranchas, divididas em duas partes, com 7 quadros ao todo (1. Ténérif, 2. Cabo Frio, 3. costa do Rio bem distante, 4. costa do Rio, 5. o gigante, 6. dentro da baía, 7. já em terra firme).
O roteiro é uma viagem da Europa ao Rio, sob o ponto de vista do viajante no convés da embarcação.
Tem algo de cinematográfico a aproximação das tomadas até se poder avistar alguns cariocas.
E de brinde ainda nos deu talvez a primeira caricatura do país/nação junto com um apelido hoje em dia muito em voga:  "O gigante adormecido" (le géant couché).


Ele esteve no Brasil entre 1816 e 1831 (pintou na chegada ou na saída).  Publicou as pranchas em Paris (entre 1834 e 1839).  É brasileira a HQ?  Pelo menos o tema é.

in biblioteca Mário de Andrade.

04 abril 2017

Capítulos 19, 20 e 21 de Zé Caipora

Todos da Revista Illustrada (in Biblioteca Nacional).

Ed. 453 - 15 de março de 1887



Ed. 455 - 15 de abril de 1887

Ed. 456 - 30 de abril de 1887 (repare que a publicação variava entre semanal e quinzenal)

Atualizei os links para as Hemerotecas Brasileiras (ao lado).