17 julho 2017

Kurt Caesar (1906 - 1974). Um dos papas da Ficção Científica em Quadrinhos

Estava  eu em uma outra pesquisa quando me deparei com esse quadro:

12 de abril de 1936
Aí pensei, esses franceses são bons em HQ!  Mas o copyright é de uma editora italiana (Editrice Moderna), aí fui no Google.  Encontrei esse post do Fumetti Classici que indicava uma edição em italiano do mesmo artista, no Museo della Figurina.
Na verdade o fera em questão é mezzo-francês-mezzo-italiano segundo o Lambiek.
No Fumetti Classici há um outro post, sobre a revista francesa (essa da imagem lá de cima) que publicava o artista mais italiano que frances.  E foi nesse post que me dei conta de uma outra HQ, essa pelo jeito francesa mesmo:  Futuropolis - que parece muito boa e até pode vir a ser uma das primeiras a usar um personagem robô gigante e tripulado!

Bom, e quanto à revista francesa do início do post?  Taqui o link, man:  L'Aventureux - são cerca de dezoito números, ainda não tive tempo de ler.

13 julho 2017

HQ de Ficção Científica - em 1903

Obra do Jules Verne dos Quadrinhos - Marius Monnier (veja um pouco dele no Lambiek).  Sei que o Albert Robida também gostava de desenhar FC mas o Monnier fez tantas HQs que fica difícil escolher uma pra postar.  Luc Leguey experimentou essa seara (e fez umas inovações na técnica do requadro)  mas o cara da HQ de Ficção Científica é mesmo Monnier, ponto!
Como disse são muitos exemplos, segue esse pôster à la Robida:

in ArchéoSF
Mas o que interessa aqui é HQ, pois vamos conhecer o "Chapolim Colorado/Homem Formiga/Atoman/Gulliver/Pequeno Polegar"criado por esse prolixo desenhista do nascente século XX:


La Jeunesse Illustrée - 11 de outubro de 1903
Essa revista "La Jeunesse Illustrée", que certamente foi fonte de inspiração pra O Tico-Tico é uma das mais incríveis que já li, quando o assunto é quadrinhos.  Veja aqui, no Töpfferiana, um pouquinho dela.

08 julho 2017

Personagens menos badalados do Yantok

Em O Tico-Tico (1910) Max Yantok ilustrou o romance Robison Crusoé - creio que todo - como mostra a capa:

Ed. 267 de 1910
Daí o próprio Yantok resolveu fazer uma paródia (em vários capítulos), chamava-se Jick Tyndall:

Ed. 286 de 1911
Ed. 292 de 1911
Criou também a série (com vários capítulos) "À Volta do Mundo", que seria o embrião das desventuras de Kaximbown, vejam que os personagens são os mesmos:  Capitão Ferragon (quase idêntico ao Kaximbown), Tonico, Pipoca e Valente (que se tornou Pistolão em Kaximbown).

Ed. 238 de 1910
Assinava como Ketno:

Ed. 242 de 1910
Criou o personagem Tom Balykan (que não encontrei nada, salvo essa 'capa'):

Ed. 352 de 1912
Criou pelo menos duas séries (de um total de sete) de "AS SETE LENDAS DO TICO-TICO MÁGICO".  Uma delas "A Bandeira Brazileira" onde o gurreiro Brazil "chefe de uma imensa povoação de heroes" reúne seus fihos maiores Aymoré, Tamoyo e Guarany para vasculharem o mundo todo e trazerem "o mais bello e util para a patria".  Pelo caminho eles se deparam com a fada Patria (que lhes entregou um talismã com poderes extraordinários etc.), a princesa Atlanta (que ficou com o talismã), o anão Tupy (guardião da Lua - que era tb em forma de fada):

Ed. 265 de 1910
Ed. 271 de 1910
Mais um da lavra de Yantok foi o super-herói "Pery"- um misto de Príncipe Gilberto + Príncipe Oscar + Fikom + Little Nemo.  Ele tinha um anel-talismã com super poderes (transformou um ciclone em uma simples chuva, curou um doente que estava abandonado, ao dormir/cochilar produzia audição acima do normal e teias de aranha.  Além de cavalgar seres fantásticos...):

Ed. 242 de 1910

Também na ed. 242 de 1910 - repare que Yantok aqui assinava "Mephisto"
Ed. 250 de 1910 (parece cena de desnho animado que irrita a gente, aqui ele não usa o talismã)


Ed. 261 de 1910 - essa parece ser a origem do super herói, bem nos moldes atuais primeiro se publica uma aventura depois sai a origem.
Ed. 263 de 1910
Ed. 264 de 1910
Bom, segue como bônus um crossover entre Kaximbown e Zé Macaco (do Alfredo Storni):

Ed. 336 de 1912
E mais bônus na forma duma 'fanart', eh isso, naquele tempo já existia 'fanart'.  Foi enviado pelo Armando Souza Diniz - fã do Sabbado e do Pipoca:

Ed. 357 de 1912
E um útimo bônus.  Pra quem não conhece o Yantok aqui vai uma autocarica do cara:

Ed. 312 de 1911
in Biblioteca Nacional, com uma consultinha no Guia dos Quadrinhos.

06 julho 2017

Continuação do Zé Caipora - capítulos 48, 49 e 50. Todos em O Malho

Segue a saga:

Cap. 48 - edição 181 de 3 de março de 1906 (só uma página mesmo!)
Cap. 49 - edição 182 de 10 de março de 1906
Cap. 50 - ed. 183 de 17 de março de 1906
E como de costume, um bônus, desta vez uma comédia do velho Agostini:

O Malho edição 122 de 1905 (o personagem de preto do último quadro lembra o Bordallo Pinheiro)
in Bilblioteca Nacional

05 julho 2017

Henrique Alvim Corrêa (1876 - 1910)

Alvim Corrêa foi um estupendo ilustrador da passagem do século XIX para o século XX.
Não vou aqui postar as maravilhas futuristas com que ele nos presenteou no livro "A Guerra dos Mundos" de H. G. Wells.  Mas essa gravura é de uma criatividade que sou obrigado a compartilhar:

in Openculture
Como o assunto deste blog é HQ (banda desenhada, comics, tiras etc.) vamos ao que interessa, esta HQ de 189? ( o link da Biblioteca Nacional não diz mas presumo que foi próximo ao ano de 1894, início dos estudos artísticos de Alvim Corrêa em Paris e por coincidência ano da fundação do jornal Le  Rire - o mesmo que o cidadão da tirinha leu e deitou ao chão após o susto):

Henrique Alvim Corrêa
-Sapristi! Ce qu'ils a ont durs!!! / -Devant des bons journaux / (Vos Se reclame)

Eu traduziria como uma paródia à fábula "A raposa e as uvas":

 - Estão verdes!


30 junho 2017

Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac (1865 - 1918)

O cara do "Hino à Bandeira", membro fundador da ABL, poeta que nos deixou essa impecável homenagem ao nosso idioma:

Língua Portuguesa

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela…
Amo-te assim, desconhecida e obscura,
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela
E o arrolo da saudade e da ternura!
Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,
Em que da voz materna ouvi: "meu filho!"
E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

 Colaborou em "A Semana", onde encontramos esta caricatura (ladeada por uma crônica-biográfica presente do amigo Alberto de Oliveira) feita, provavelmente, pelo Belmiro em 1896:

in Biblioteca Nacional

Bom, como o assunto aqui é quadrinhos - HQ - cabe mencionar que Olavo tradaptou a HQ "Max und Moritz" - publicado em 1865 na Alemanha, por coincidência o ano do nascimento de Bilac - com o título de "Juca e Chico", não me perguntem o ano da publicação tradaptada no Brasil...
E como mencionei essa faceta do poeta, ao vasculhar o Arquivo Público do Estado de São Paulo encontrei um exemplar da revista "A Lua" (SP) de 1910,


 E então me deparo com esta HQ (tira-foto-montagem) que parece ser francesa (pelo menos as lengendas estão escritas no idioma de lá:  "Le premier jour du mois / Le quinze du mois / La fin du moise"; há uma marca "AK" que bem pode ser a chancela do estúdio fotográfico):


Olhando bem até que o cabra das fotos lembra muito o poeta, não custa nada supor que ele mesmo tenha feito as fotografias.  Ou será que vendiam essas HQs ao estilo dos atuais álbuns de figurinhas e ele completando a sequência resolveu aplicar mais humor à história?
Eu tradaptaria assim:  "No comecim do mês / No mêi do mês / Na véspera do ôto mês"
Mas o mestre gostava de rima, e pra quem não gosta de inclinar a imagem pra ler as legendas do Bilac:


I

No começo é o paraíso…



II

No meio, conta-se o cobre…



III

No fim, extingue-se o riso:

Coitado de quem é pobre!

Inté.

20 junho 2017

Primeira Exposição Internacional de História em Quadrinhos

Não, não estou falando daquela de 19 de junho de 1951 - aberta às 20:30, numa terça-feira, em SP (na Wikipédia a data precisa de correção pois é dada como dia 18).
Mas já que tratei dela, vá lá, vamos aos detalhes com a ajuda de um jornal da Comunidade Judaica em SP - "Nossa Voz":

Nossa Voz (Semanário Israelita Brasileiro) - 7 de junho de 1951 - ed. 219
E uma pequena nota sobre a exposição:

Nossa Voz - 28 de junho de 1951
A revista Fundamentos (também de SP), em 1953, faz uma menção ao episódio, com ênfase numa tal celeuma:


Sem querer polemizar mais ainda, mas, é mesmo muito estranho uma exposição feita por brasileiros, para brasileiros e no Brasil não abrir espaço para artistas daqui.  E a escusa de Álvaro de Moya (considerando que a revista Fundamentos transcreveu corretamente) não faz sentido algum posto que à época aina estavam vivos grandes mitos dos quadrinhos brasileiros, e pra não me alongar cito apenas Alfredo Storni, Oswaldo Storni, Raul Pederneiras, Max Yantok, Francisco Acquarone, e, Calixto "K. Lixto" Cordeiro.

Como disse no início do post não falo desta 'primeira exposição' mas de uma outra (segundo o link da Wikipedia acima) realizada na Itália em 2 de novembro de 1950 (sete meses antes da brasileira), com esses caras aqui:

in Nova Isole 24 ore

Mais detalhes aqui em Guida al Fumetto Italiano.  Teve até participação (meio que indireta) duma senhora chamada Maria Montessori, conhece?

Vai um video da Primeira Exposição Internacional Italiana de História em Quadrinhos - que contou com pelo menos a presença de material dos EUA, União Soviética, e Japão:


Inté.

P.S.:  lá no link da Wikipédia fala de uma outra, mais antiga ainda, nos EUA, mas não encontrei detalhes da dita cuja...  Tb não encontrei os jornais italianos da época (as hemerotecas italianas são fraquinhas).

17 junho 2017

Capítulos 45, 46 e 47 de Zé Caipora (de Angelo Agostini) - O Malho

Seguindo o rastro de Zé Caipora - do século XIX ao século XX:

Ed. 173 de 6 de janeiro de 1906 - cap. 45
Ed. 174 de 13 de janeiro de 1906 - cap. 46
Ed. 177 de 3 de fevereiro de 1906 - cap. 47

O capítulo 45 só o encontrei na Casa Rui Barbosa (que só gosta do navegador Chrome), os outros dois, como de praxe, catei na Biblioteca Nacional.

Vai como bônus talvez a primeira arte de Augusto Rocha em "O Malho" - pra quem não o conhece ele criou um outro herói brasileiro, o Max Muller, em 1913 em O Tico-Tico:

Ed. 37 - 1903
Inté.

08 junho 2017

Super Herói brasileiro anterior ao Príncipe Oscar ("Annel Mágico")

Existe uma polêmica quanto ao primeiro super herói do mundo, alguns arriscam o Príncipe Oscar, de 1908, a história conta com 8 páginas e 16 gravuras, na revista O Tico-Tico (Biblioteca Nacional):


*acrescentado em 8 de junho de 2017 18:53h este print lá da Confraria do Gibi:



O autor é o cearense Gustavo Barroso, que na época contava com uns 20 anos de idade, pois ele nasceu em 1888:


A história é de um príncipe que tirava super-poderes de um anel mágico, pois bem, acontece que no ano anterior, o baiano Cícero Valladares (Dudu), criou um outro super herói brasileiro, que portanto devereria ser o primeiro ser com super poderes publicada em quadrinhos.
Trata-se de uma genuína HQ de 3 páginas e 21 quadrinhos, publicada em O Tico-Tico no ano da graça de 1907:

Ed. 88 - 1907

Ed. 89 - 1907


Ed. 90 - 1907

O Super Herói chama-se "Príncipe Gilberto" que enfrentou vários monstros (entre eles o Gênio das Sombras) com o auxílio de um artefato com super poderes, a "Lança Mágica", e por fim retirou o encanto que aprisionava a linda Princesa Celina em um corpo de dragão, e os dois viveram felizes para sempre...

Portanto, esse é o primeiro Super Herói Brasileiro, o distinto Príncipe Gilberto, criado pelo Dudu em 1907 - um ano antes do surgimento do Príncipe Oscar.

Inté,

p.s.:  Dudu tb criou outras histórias fabulosas em quadrinhos, mas isso é pra um outro post.

in Biblioteca Nacional e Hemeroteca Gustavo Barroso

04 junho 2017

Capítulos 42, 43 e 44 de Zé Caipora em "O Malho"

Segue a saga.

Cap. 42 - Ed. 170 - 16 de dezembro de 1905
Cap. 43 - Ed. 171 - 23 de dezembro de 1905
Cap. 44 - Ed. 171 - 30 de dezembro de 1905
E como estamos comemorando as "Festas Juninas" vamos dar um pulinho em "O Tico-Tico":

Ed. 36 - 1906 - O Tico-Tico - Angelo Agostini
Inté.

30 maio 2017

Outra HQ de Desterro (capital da Província de Santa Catarina) ilustrada por Joaquim Margarida

Em 3 de janeiro de 1886 surge mais outra revista ilustrada em Desterro, a primeira foi em 1885.
Chamava-se "Matraca" e esta é a número 1:


Aqui uma alteração no logo:


Joaquim Margarida era o 'cara' que tocava o barco, digo, o buril.  Dele encontrei pouco, um ótimo trabalho é o de Fabiana Machado Didoné que mostra algumas ilustrações.
Mas não custa nada postar o 'expediente' da revista:


À época corria uma eleição onde o Presidente da Província de Santa Catarina, o político Francisco José da ROCHA:


... estava às turras com alguns dissidentes.  Fato que engendrou esta divertida HQ meio que psicótica satirizando o sr. dr. Rocha (que já via seu inimigo em todos os lugares):

Ed. 4 - 30 de janeiro de 1886
Procurei aqui mas não encontrei foto do dr. Rocha, a internet ainda não tem tudo.  Por isso vai um close up do Presidente da Província (atual cargo de Governador de Estado):


in Hemeroteca Digital Catarinense.